Newsletter

Mitos e verdades sobre a margarina

Tamanho da letra A-A+

Compartilhe com os amigos:
Mitos e verdades sobre a margarina

Esclareça todas as suas dúvidas sobre este alimento para consumi-lo sem preocupações.

A margarina está no café da manhã e no preparo de muitas refeições de grande parte das famílias brasileiras. Cremosa e saborosa, ela é o par perfeito para a torrada, o pão fresquinho ou a bolacha. Saiba todas as verdades sobre esta delícia e veja como você pode saboreá-la tranquilamente.

A margarina e a manteiga são iguais.
Mito. A principal diferença é que a manteiga é um produto derivado do leite, e é rica em gorduras saturadas e colesterol. Já a margarina é feita à base de óleos vegetais e, por isso, não tem colesterol.

Fique por dentro!
Para saber mais sobre as gorduras, acesse em nosso site:
Gorduras

Por ser gordura pura, o consumo de margarina deve ser evitado.
Mito. A regra, assim como com todos os outros alimentos, é consumir com moderação. Uma pequena camada – sem exageros - no pão ou na torrada é suficiente para dar sabor sem causar prejuízos à saúde.

A margarina contém baixo teor de gordura saturada.
Verdade. Ela contém menos da metade do valor de gordura saturada presente na manteiga. Este componente, se consumido em excesso, pode elevar os níveis de colesterol e de triglicérides, e consequentemente provocar entupimento das artérias. Por isso, se você sofre com a alta taxa de colesterol no sangue, a margarina é a sua melhor opção.

A margarina é composta apenas de óleo ou gordura vegetal.
Mito. Além destes componentes, a margarina leva água e leite, este com limite máximo de 3% do total da composição. Pode, ainda, conter gema de ovo e vitamina A.

Há no mercado margarinas que não são feitas de gordura.

Mito. Margarina tem como ingrediente essencial para sua composição a gordura de origem vegetal.

Todas as margarinas são livres de gordura trans, prejudicial à saúde.
Mito. Atualmente ainda existem algumas margarinas com gordura trans, mas a maioria delas já não a apresenta mais em sua formulação. Essa gordura ficou conhecida em margarinas, pois o primeiro tipo de processo para a fabricação era a “hidrogenação catalítica”, em que se transformavam óleos vegetais líquidos em sólidos. Contudo, esse procedimento gerava a gordura trans, atualmente associada a diversos malefícios à saúde. A margarina Qualy, por exemplo, não contém esse tipo de gordura, e você pode consumi-la sem preocupações – com moderação, é claro!

Fique por dentro!

Para saber mais sobre gordura trans, acesse em nosso site:
Gorduras Trans

voltar para nutrição simplificada

usuário

Caracteres restantes: 200