De volta à TV!

Márcio Garcia ensina a conciliar o trabalho com a rotina de uma grande família

Márcio Garcia ensina a conciliar o trabalho com a rotina de uma grande família

Apresentador, ator, produtor e diretor. Mas o papel em que Márcio Garcia se sai melhor é o de pai do Pedro (13), Nina (11), Felipe (7), e João (2), filhos do casamento com a nutricionista Andrea Santa Rosa. Nem imaginava ele que, no início dos anos 2000, quando apresentava o programa “Gente Inocente”, já estava fazendo um laboratório para o que viraria boa parte da sua vida. “O Gente Inocente foi um bom treino. Mas eu nunca imaginei que seriam 4 em casa. Para mim, família grande eram 3. Hoje estão todos aqui e eu não consigo imaginar como seria minha vida sem qualquer um deles. É um grau de amor incondicional”, se declara.

Parando para pensar, pode até não parecer fácil dar conta da rotina de seis pessoas no dia a dia e ainda arrumar um tempinho para ficarem todos juntos. É preciso uma certa disciplina, mas Márcio garante que conseguem. "De segunda a sexta é corrido. Todo mundo está de pé às 6h para se preparar com calma para a escola. Eu chego em casa a partir das 18h, começamos a sessão banho, dever de casa e às 19h estamos jantando. Depois, rola uma partida de jogos com todos (eles adoram Rummikub, um jogo de raciocínio), para às 20h30 já estar todo mundo na cama e lendo um livro se quiser", explica.

Os horários bem definidos são derivados de, digamos, um trauma de Márcio quando era criança. "Eu tinha horror a ser acordado para ir para a escola, porque meus pais eram muito liberais com a hora de dormir. Eu penava de manhã, ia dormindo no carro, ficava caindo da cadeira na aula. Isso comprometeu a minha pessoa", ri e completa que Andrea é mais relax em relação aos horários, mas na hora da bronca... "Quando viajo, às vezes 21h ainda está todo mundo agitado! Só o Pedro que fica revoltado de ser o único dos amigos que dorme cedo. Fico mais em cima do estudo também, mas quando um aperta, o outro afrouxa e assim conciliamos", conta.

É quando as luzes se apagam que Márcio aproveita o silêncio para se dedicar a tarefas como ler roteiros de filmes, futuros projetos ou ver detalhes de suas produções atuais. E não são poucas, entre direção em Hollywood e apresentação na TV brasileira, parece que o dia dele tem o dobro de horas. "Eu consigo conciliar porque acho que existe cada momento para uma coisa. Não costumo atropelar nem perder o foco. Durante a gravação do 'Tamanho Família', eu já estava empenhado desde a parte de pesquisa e produção. Quando estou em um set dirigindo, o principal é aquilo", diz. Para ele, a dica é organizar a cabeça e entender que o dia é muito longo, e, quanto mais compromissos você tem, mais tempo aparece. "Já tive épocas em que estava mais devagar e parecia que o tempo estava sempre saltando. Hoje tudo se encaixa".

Tendo experimentado já diversos campos no universo artístico, atualmente o foco de Márcio é realmente o programa na TV Globo, onde se sente em casa, interagindo com artistas... e suas famílias! "Gosto muito de apresentar, fico solto e me divirto. Eu estava com muita saudade e é muito legal voltar e receber o carinho dos fãs e as mensagens dos convidados que estão adorando participar. É muito bom fazer um entretenimento que deu certo e que está marcando a vida das pessoas. O 'Tamanho Família foi o maior golaço da minha carreira. É positivo, engraçado e emociona sem ter drama. Eu diria que apresentar hoje é o que me faz mais feliz", confessa.

Juntos há 16 anos, desde que se conheceram através de amigos em Angra dos Reis, Marcio e Andrea comandam também o Vida Funcional, um programa que combina exercícios e reeducação alimentar. A saúde é um assunto constantemente em alta na família, já que além da profissão de Andrea, Márcio também sempre foi conhecido por praticar esportes e sempre era visto jogando futevôlei na praia. "Eu nunca me alimentei mal, mas era mais desencanado quando jovem. Depois dos 30 anos o metabolismo dá uma desacelerada. A chegada da Andrea na minha vida ajudou a cortar frituras, refrigerantes e outras bobagens. Como eu estava apaixonado e também queria melhorar, aceitei", brinca o apresentador.

Não é qualquer coisa que entra na geladeira da casa mesmo e os pequenos já estão mais do que integrados nessa rotina. "Aqui tem muita água de coco, abacate, manga, o mais radical é uma água com gás. A gente tem um pomar bacana em casa, então as crianças estão acostumadas a ir lá e escolher alguns alimentos. O paladar deles já está acostumado e eles nem curtem tanto doce, por exemplo. É mais um sorvete natural de sobremesa ou um pedaço de chocolate amargo. Mas claro que de vez em quando ou no fim de semana a gente se libera pra comer um hambúrguer e outras coisas. Nem eu nem a Andrea somos absolutamente radicais", explica, acrescentando: "É de uma forma consciente, sabendo que se segurar a onda de segunda a sexta já adianta 50%. E é melhor não ter nada disso na geladeira porque, se tivesse, a gente ia comer", ri.

Além do pomar em casa, o espaço externo colabora bastante para as crianças crescerem se movimentando. Cama elástica, tirolesa e tecido em árvore são alguns dos acessórios preferidos de Nina, que faz ginástica olímpica. João faz natação e Felipe, jiu jitsu. "Ele está cheio de marra que pegou a faixa amarela. O moleque é faca no dente. E o Pedro vive no campo de futebol praticando, ele levou o troféu de melhor jogador em campeonato nos Estados Unidos", conta o pai orgulhoso. Apesar de praticarem menos esportes do que gostariam, para os pais, passar um fim de semana com as crianças já ajuda a suar. Se não estão aproveitando o jardim de casa, estão no sítio na região serrana do Rio de Janeiro, ou na praia, dando uma volta de segway com os cachorros, soltando pipa ou praticando kitesurf. "Estamos sempre juntos. Cada dia que a gente não está com eles, é um dia a menos. É uma sensação bem doida de querer aproveitar a vida, mas querer estar com eles. São quatro e eles estão crescendo. Sempre parece que um teve um pouquinho menos de tempo".

Por isso Márcio acredita que também é preciso reservar um tempinho extra para passar um tempo sozinho com cada um dos filhos, mesmo que seja meia hora na hora do almoço. "Eu passeio muito só com o João pelo jardim, converso, sem celular. É saber aproveitar e dedicar aquele tempo, torná-lo de qualidade", conta e dá a dica para quem tem uma família grande assim: "A gente procura fazer programas só com um deles às vezes. É importante cada um ter a sua exclusividade. Entre eles também, brincar em duplas, sozinhos. Quando fica todo mundo junto, você fica só gerenciando crise. Dificilmente todo mundo quer a mesma coisa na mesma hora. É um caos, mas um caos maravilhoso! Família é tudo de bom", delicia-se.

PRINCIPAIS ASSUNTOS RELACIONADOS: 

Márcio Garciaalimentaçãofamíliasaúde